O Porquê do Blogue

Brasil está no labirinto da indefinição. O momento estimula desafios e amplia debates. Tempo, portanto, da informação que detalha e da análise que orienta, ambas matérias-primas do jornalismo parceiro da verdade. Além da intermediação entre o fato e o leitor, este espaço pretende ser mais uma trincheira dos direitos e das garantias individuais. Também, da livre iniciativa e do enquadramento do Estado, ineficiente e caro, na prestação de serviços essenciais aos cidadãos, independentemente de cor, credo e gênero. Linha editorial independente exclui associação com o poder e a oposição, mesmo se forem reconhecidas a origem legal da conquista e a respeitabilidade do seu protagonismo. É compromisso. Acompanhe e critique.

Entre em contato!
walgom@uol.com.br

Haddad quer passaporte para Planalto (*)

 

Comentário realista sobre arquivamento da candidatura de Fernando Haddad, para reconquistar a prefeitura de São Paulo, em outubro, é do pragmático Lula da Silva.

Tem a palavra o ex-presidente do Brasil e primeira referência na hierarquia do PT:

“Quando a pessoa não quer, é bom não insistir. Ora, querendo  é difícil a batalha; imagine sem querer”.

Haddad sofreu o impacto da derrota quando tentou reeleição à governança municipal para o tucano João Doria, hoje chefe do Executivo estadual.

O ex-ministro da Educação anotou, na sequência imediata, o segundo insucesso nas urnas que definiriam  sucessor do emedebista Michel Temer no Planalto. Perdeu, mas classificou-se ao segundo turno vencido por Jair Bolsonaro.

Fernando Haddad pode ser, novamente, o presidenciável do Partido dos Trabalhadores em 2022, confirmada inelegibilidade  de Lula duas vezes governante do Brasil.

 

(*)  walgom.com.br

(*) @bloguewalgom

(*) @Tervalsegom, no Twitter

Sem comentários
Escrever um comentário