O Porquê do Blogue

Brasil está no labirinto da indefinição. O momento estimula desafios e amplia debates. Tempo, portanto, da informação que detalha e da análise que orienta, ambas matérias-primas do jornalismo parceiro da verdade. Além da intermediação entre o fato e o leitor, este espaço pretende ser mais uma trincheira dos direitos e das garantias individuais. Também, da livre iniciativa e do enquadramento do Estado, ineficiente e caro, na prestação de serviços essenciais aos cidadãos, independentemente de cor, credo e gênero. Linha editorial independente exclui associação com o poder e a oposição, mesmo se forem reconhecidas a origem legal da conquista e a respeitabilidade do seu protagonismo. É compromisso. Acompanhe e critique.

Entre em contato!
walgom@uol.com.br

Doria e Witzel distantes de Bolsonaro

João Doria (PSDB-SP) e Wilson Witzel (PSC-RJ) mergulharam na onda bolsonarista em 2018 e, no segundo turno, garantiram vitória sobre fortes adversários na disputa para o Executivo dos dois mais importantes estados da República Surrealista dos Trópicos.

Logo no final do primeiro semestre  de suas governanças, iniciaram revisão na aliança política com o presidente da República. Como não havia amizade pessoal que cobrasse solidariedade, ampliaram, na segunda etapa de 2019, o grupo dos críticos de Jair Bolsonaro.

Insinuaram-se, precipitadamente, como postulantes ao  Palácio do Planalto. Desagradaram, claro, ao titular que planeja  a recondução ao ‘trono’. Apesar do desgaste apurado nas sondagens de opinião, Jair teria espaço no turno final do embate de 2022.

Doria e Witzel, não.

 

walgom.com.br

@bloguewalgom

@Tervalsegom, no Twitter

Sem comentários
Escrever um comentário