O Porquê do Blogue

Brasil está no labirinto da indefinição. O momento estimula desafios e amplia debates. Tempo, portanto, da informação que detalha e da análise que orienta, ambas matérias-primas do jornalismo parceiro da verdade. Além da intermediação entre o fato e o leitor, este espaço pretende ser mais uma trincheira dos direitos e das garantias individuais. Também, da livre iniciativa e do enquadramento do Estado, ineficiente e caro, na prestação de serviços essenciais aos cidadãos, independentemente de cor, credo e gênero. Linha editorial independente exclui associação com o poder e a oposição, mesmo se forem reconhecidas a origem legal da conquista e a respeitabilidade do seu protagonismo. É compromisso. Acompanhe e critique.

Entre em contato!
walgom@uol.com.br

Toffoli falha na direção do Supremo

 

Ministros politiqueiros derrubaram imagem da imparcialidade nos julgamentos do Supremo Tribunal Federal.

Levantamento recentíssimo do Datafolha revela que 39% das pessoas entrevistadas pela sua equipe de pesquisas consideram ruim ou péssimo o trabalho dos titulares da Corte.

O instituto, do grupo de comunicação Folha d S.Paulo, apurou que 38% dos brasileiros avaliam  como regular o desempenho das excelências togadas. Como ótimo ou bom, 19%.

Há tempos, o STF começou a perder apoio que teve ao longo de sua história além de dois séculos. Dias Toffoli, presidente até setembro deste ano, tem falhado até em ações simples.

O paulista de Marília começou a ocupar espaços na crônica político-jurídica como assessor da bancada do PT na Câmara dos Deputados. Foi, também, subchefe de assuntos jurídicos da Casa Civil (fase de José Dirceu).

Toffoli dirigiu a Advocacia-Geral da União também na governança Lula da Silva. Foi o então presidente do Brasil que o levou ao Supremo em 2009, com homologação do Senado como é de praxe.

José Antonio Dias Toffoli chegou ao Supremo com 50 anos, recordista na idade.

 

walgom.com.br

@bloguewalgom

@Tervalsegom, no Twitter

Sem comentários
Escrever um comentário