O Porquê do Blogue

Brasil está no labirinto da indefinição. O momento estimula desafios e amplia debates. Tempo, portanto, da informação que detalha e da análise que orienta, ambas matérias-primas do jornalismo parceiro da verdade. Além da intermediação entre o fato e o leitor, este espaço pretende ser mais uma trincheira dos direitos e das garantias individuais. Também, da livre iniciativa e do enquadramento do Estado, ineficiente e caro, na prestação de serviços essenciais aos cidadãos, independentemente de cor, credo e gênero. Linha editorial independente exclui associação com o poder e a oposição, mesmo se forem reconhecidas a origem legal da conquista e a respeitabilidade do seu protagonismo. É compromisso. Acompanhe e critique.

Entre em contato!
walgom@uol.com.br

Bolsonaro e Moro com suas palavras

 

Versão de Jair Bolsonaro para integrar Sergio Moro, então juiz-referência da Operação Lava-Jato, à equipe do governo saído das urnas do segundo turno da eleição de 2018.

Revelação do ungido para o ‘trono’ da República, em resposta a repórter da rede Bandeirantes na entrevista do fim da semana passada:

“Eu fiz um compromisso com ele, porque ele abriu mão de 22 anos de magistratura. Eu falei: a primeira vaga que tiver lá (Supremo Tribunal Federal) está à sua disposição”.

Ontem (13), o ministro da Justiça e Segurança Pública lembrou que foi à casa de Bolsonaro (já eleito), no Rio, conversaram abertamente e não estabeleceu nenhuma condição para se transferir para Brasília.

Palavras dele:

“Não vou receber convite para ser ministro e estabelecer condições sobre circunstâncias do futuro que não se pode controlar”.

A respeito de ser indicado para o STF, exatamente como dito por Sergio Moro:

“Quando surgir a vaga lá na frente, o presidente vai avaliar se ele vai realizar o convite para mim. Se ele formular o convite aí eu vou avaliar se eu vou aceitar”.

Sem comentários
Escrever um comentário