O Porquê do Blogue

Brasil está no labirinto da indefinição. O momento estimula desafios e amplia debates. Tempo, portanto, da informação que detalha e da análise que orienta, ambas matérias-primas do jornalismo parceiro da verdade. Além da intermediação entre o fato e o leitor, este espaço pretende ser mais uma trincheira dos direitos e das garantias individuais. Também, da livre iniciativa e do enquadramento do Estado, ineficiente e caro, na prestação de serviços essenciais aos cidadãos, independentemente de cor, credo e gênero. Linha editorial independente exclui associação com o poder e a oposição, mesmo se forem reconhecidas a origem legal da conquista e a respeitabilidade do seu protagonismo. É compromisso. Acompanhe e critique.

Entre em contato!
walgom@uol.com.br

USP ganha acervo de Celso Furtado

 

Instituto de Estudos Brasileiros, da Universidade de São Paulo   (USP), recebe, como doação, o acervo de Celso Furtado.

Nascido em Pombal (PB), o intelectual entre os de maior relevância no Brasil e do grupo de grande prestígio mundial, foi cassado pela ditadura militar instalada em 1964, com a deposição do presidente João Goulart (PTB-RS). Exaurido, o regime de fadados foi derrubado em 1985, quando Tancredo Neves (MDB-MG) elegeu-se, via indireta, chefe do governo.

Celso Furtado, a pedido de Juscelino Kubistchek, então titular do Executivo Federal, criou a Sudene, órgão que abriu alguns caminhos desenvolvimentistas para o Nordeste. Também instalou o Ministério do Planejamento e foi o primeiro titular da pasta (governo Goulart).

Depois do exílio, Furtado voltou à Esplanada dos Ministérios como ministro da Cultura do presidente José Sarney. O maranhense herdara o poder pela doença e morte de Tancredo, artífice da articulação civil-militar para redemocratizar o Brasil.

Sem comentários
Escrever um comentário