O Porquê do Blogue

Brasil está no labirinto da indefinição. O momento estimula desafios e amplia debates. Tempo, portanto, da informação que detalha e da análise que orienta, ambas matérias-primas do jornalismo parceiro da verdade. Além da intermediação entre o fato e o leitor, este espaço pretende ser mais uma trincheira dos direitos e das garantias individuais. Também, da livre iniciativa e do enquadramento do Estado, ineficiente e caro, na prestação de serviços essenciais aos cidadãos, independentemente de cor, credo e gênero. Linha editorial independente exclui associação com o poder e a oposição, mesmo se forem reconhecidas a origem legal da conquista e a respeitabilidade do seu protagonismo. É compromisso. Acompanhe e critique.

Entre em contato!
walgom@uol.com.br

Brasil visto por sociólogo americano

 

Scott Mainwaring, professor da Universidade de Harvard, acompanha a política brasileira há quase quatro décadas. Ele previu, logo no início da campanha eleitoral de 2018, que, eleito, Jair Bolsonaro teria dificuldades na relação com o Legislativo. Aguardou, também, divisões no grupo político-parlamentar do novo governante e problemas na proteção dos direitos das minorias.

Após os 100 primeiros dias, o sociólogo estadunidense avalia que suas previsões ficaram próximas da realidade, mas trouxeram o que denomina descoberta positiva.

Fez a revelação durante entrevista à BBC News Brasil. Confessou que foi surpreendido pela atuação dos militares com titularidade em cargos-chave no governo da República. Destaca, em particular, o vice-presidente Hamilton Mourão.

Mainwaring explica:

“Durante a campanha, o general fez declarações céticas em relação à democracia. Mas, desde que assumiu, aderiu de maneira consistente a discurso e comportamento democráticos”.

Sem comentários
Escrever um comentário