O Porquê do Blogue

Brasil está no labirinto da indefinição. O momento estimula desafios e amplia debates. Tempo, portanto, da informação que detalha e da análise que orienta, ambas matérias-primas do jornalismo parceiro da verdade. Além da intermediação entre o fato e o leitor, este espaço pretende ser mais uma trincheira dos direitos e das garantias individuais. Também, da livre iniciativa e do enquadramento do Estado, ineficiente e caro, na prestação de serviços essenciais aos cidadãos, independentemente de cor, credo e gênero. Linha editorial independente exclui associação com o poder e a oposição, mesmo se forem reconhecidas a origem legal da conquista e a respeitabilidade do seu protagonismo. É compromisso. Acompanhe e critique.

Entre em contato!
walgom@uol.com.br

Notas curtas para leitura rápida

 

Diz-se, mas fatos corriqueiros desmentem, que os naturais da República Surrealista dos Trópicos são acolhedores e indulgentes. A respeito do tema, Lilia Moritz Schwarcz (foto) escreveu o livro ‘Sobre o autoritarismo brasileiro’. O texto da antropóloga e historiadora paulista mostra que o país é mais excludente que inclusivo ***** Jair Bolsonaro visitou, ontem (domingo), Hamilton Mourão. O presidente da República foi ao Palácio do Jaburu, residência oficial do vice ***** Eduardo Cury (PSDB-SP) tem a preferência dos colegas da Câmara para relatar reforma da Previdência na Comissão Especial. Há, porém, articulação, ainda discreta, “para entregar o abacaxi” a um quadro do PSL, legenda palaciana ***** Fala-se sem pedido de reserva que o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, foi cooptado pela corporação do BB. O assunto é comentado nos andares do Planalto, onde o mexerico é livre ***** Com a troca de seis por meia dúzia, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, deseja dinamizar atendimento aos que dependem da assistência estatal. Na presidência Jair Bolsonaro, o programa ‘Mais Médicos’, lançado no governo Dilma Rousseff, deverá ser rebatizado ‘Médicos pelo Brasil’ ***** Tempo vai responder se os desentendimentos no Ministério da Cidadania se ampliam. É frágil o diálogo na cúpula da Pasta. O titular, Osmar Terra, civil, e o secretário especial do Esporte, Marco Aurélio Vieira, militar, não olham na mesma direção ***** “No Brasil de hoje, os cidadãos têm medo do futuro e os políticos têm medo do passado” (Chico Anysio, humorista brasileiro).

Sem comentários
Escrever um comentário