O Porquê do Blogue

Brasil está no labirinto da indefinição. O momento estimula desafios e amplia debates. Tempo, portanto, da informação que detalha e da análise que orienta, ambas matérias-primas do jornalismo parceiro da verdade. Além da intermediação entre o fato e o leitor, este espaço pretende ser mais uma trincheira dos direitos e das garantias individuais. Também, da livre iniciativa e do enquadramento do Estado, ineficiente e caro, na prestação de serviços essenciais aos cidadãos, independentemente de cor, credo e gênero. Linha editorial independente exclui associação com o poder e a oposição, mesmo se forem reconhecidas a origem legal da conquista e a respeitabilidade do seu protagonismo. É compromisso. Acompanhe e critique.

Entre em contato!
walgom@uol.com.br

“Governo atual abusa”, declara FHC

Apesar de dois mandatos na Presidência da República, Fernando Henrique Cardoso talvez não seja a melhor referência político-administrativa pós-ditadura militar.

Homem público com audiência internacional – ultimamente, nem tanto –, e oito anos consecutivos no Palácio do Planalto, tem base, porém, para analisar e aconselhar.

Esqueça-se a vaidade elevada do sociólogo e atente-se aos conhecimentos dele para orientar. Na sua idade – em junho, chega aos 88 anos – sabe tudo; ou quase.

Fernando Henrique reconhece que início de governo é desordenado, mas “o atual está abusando”. Refere-se, sobretudo, à intromissão de filhos para “jogarem lenha na fogueira”.

Critica-o, também, pela desorganizada relação com o Parlamento. Chama a atenção para o paradoxo brasileiro: os partidos são fracos, mas o Congresso é forte.

Dois conselhos que não foram solicitados:

Primeiro: “Presidente que não entende isso, não governa; pode até cair. Maltratar quem dirige a Câmara dos Deputados é caminho para o desastre”.

Segundo: “Presidente do país deve moderar, não atiçar”.

Sem comentários
Escrever um comentário