O Porquê do Blogue

Brasil está no labirinto da indefinição. O momento estimula desafios e amplia debates. Tempo, portanto, da informação que detalha e da análise que orienta, ambas matérias-primas do jornalismo parceiro da verdade. Além da intermediação entre o fato e o leitor, este espaço pretende ser mais uma trincheira dos direitos e das garantias individuais. Também, da livre iniciativa e do enquadramento do Estado, ineficiente e caro, na prestação de serviços essenciais aos cidadãos, independentemente de cor, credo e gênero. Linha editorial independente exclui associação com o poder e a oposição, mesmo se forem reconhecidas a origem legal da conquista e a respeitabilidade do seu protagonismo. É compromisso. Acompanhe e critique.

Entre em contato!
walgom@uol.com.br

Concluída etapa eleitoral de Lula, criador e chefe do PT

Há hora para tudo. A de agora não é para discutir acertos e erros dos presidentes da República pós-ditadura militar.

José Sarney, Fernando Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso, Lula da Silva e Dilma Rousseff passaram. Michel Temer está nos meses finais de sua angustiante governança.

Cabe à História julgá-los.

Lula insiste no retorno ao poder “para o povo voltar a ser feliz”, refrão da campanha do PT para homenagear sua mina de votos.

O petista é inelegível. Assim determina a Lei da Ficha Limpa, proposta pelas ruas, aprovada pelo Congresso Nacional e referendada por ele, então chefe do governo da República Surrealista dos Trópicos.

Senhor Silva foi condenado em duas instâncias por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Cumpre pena de 12 anos e um mês. E há outros processos em trâmite.

Mais: o Tribunal Superior Eleitoral negou registro à candidatura dele por seis votos contra um. Placar além de elástico.

Encerrou-se etapa eleitoral de Luiz Inácio Lula da Silva, político preso como outros hóspedes da Polícia Federal em Curitiba. Diferencial é a multiplicidade dos fã-clubes apaixonados pelo criador do Partido dos Trabalhadores que se espalham pelo Brasil assaltado.

Vai até 2026 a inelegibilidade do pernambucano que conquistou o poder e perdeu pelos deslizes éticos reconhecido pelas Cortes de Justiça.

Apoio X Rejeição

Levantamento da intenção de voto patrocinado por XP Investimento situa Jair Bolsonaro (PSL) na ponta da corrida ao Planalto e também líder no quesito rejeição.

Índice de apoio: 23%. Percentual contrário ao projeto eleitoral do deputado representante do Rio de Janeiro: 61.

Opção dos paranaenses

Ratinho Júnior

Ratinho Júnior (PSD) avança para se eleger governador do Paraná e pode resolver a disputa no primeiro turno. Pesquisa do Ibope, divulgada ontem (4), aponta-o com 42% das intenções de voto.

Com 13%, Cida Borghetti (PP), vice que que herdou o ‘trono’ estadual, distancia-se da reeleição. Os outros oito concorrentes somam 15 pontos percentuais.

Emedebista Roberto Requião renova mandato no Senado. Tem apoio de 43% das pessoas que declararam o voto. Beto Richa (PSDB), com 28%, tem a preferência para segunda cadeira.

Os dois governaram os paranaenses. Requião, três vezes; Richa, uma.

Magia no Supremo

Salada mista é atração do atualizado ‘cardápio jurídico’ no Supremo Tribunal Federal.

Para confirmação, recomenda-se leitura atenta ao aprovado pelos excelentíssimos togados com dotes de magia.

Na sobremesa, inclui-se adocicado habeas corpus.

Revelação com crítica

Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro revela que votou em Lula da Silva e Ciro Gomes para presidente da República.

Hoje, especialista em ambos, opina.

“Enganador”, na referência ao petista.

A respeito de Ciro: “Precisa fazer cirurgia na língua”.

Perdas na agenda

MDB sai mal, bastante mesmo, nas urnas deste 2018, se confirmados registros dos pesquisadores das empresas Datafolha e Ibope.

Candidato ao Planalto, Henrique Meirelles sucumbe nas urnas da fase eliminatória.

Partido vai perder governos estaduais e assentos no Congresso Nacional.

Romero Jucá, representante de Roraima no Senado, é uma das possíveis vítimas.

Jucá, pernambucano com domicílio eleitoral em Boa Vista, é o terceiro colocado no embate para renovar o mandato parlamentar de oito anos.

Ele é presidente nacional do Movimento Democrático Brasileiro.

Assim falou Kennedy

“Se você agir sempre com dignidade, talvez não consiga salvar o mundo, mas será um canalha a menos” (John F. Kennedy, político estadunidense).

 

Sem comentários
Escrever um comentário