O Porquê do Blogue

Brasil está no labirinto da indefinição. O momento estimula desafios e amplia debates. Tempo, portanto, da informação que detalha e da análise que orienta, ambas matérias-primas do jornalismo parceiro da verdade. Além da intermediação entre o fato e o leitor, este espaço pretende ser mais uma trincheira dos direitos e das garantias individuais. Também, da livre iniciativa e do enquadramento do Estado, ineficiente e caro, na prestação de serviços essenciais aos cidadãos, independentemente de cor, credo e gênero. Linha editorial independente exclui associação com o poder e a oposição, mesmo se forem reconhecidas a origem legal da conquista e a respeitabilidade do seu protagonismo. É compromisso. Acompanhe e critique.

Entre em contato!
walgom@uol.com.br

Marina, bem nas pesquisas, tem menor bancada no Congresso

Entre candidatos à Presidência da República bem posicionados nas pesquisas da intenção de voto, Marina Silva representa partido com menor bancada no Congresso.

Rede abriga um senador: Randolfe Rodrigues (AP). Tinha quatro titulares na Câmara até a abertura da janela para troca de legenda. Ficou com dois: João Derly (RS) e Miro Teixeira (RJ), decano da Casa. Alessandro Molon (RJ) e Aliel Machado (PR) aderiram ao PSB. Pesa no prato desfavorável da balança a avaliação do eleitor sobre a fraqueza parlamentar da acriana, conforme trabalho do Instituto de Análise Política. A entidade controlada por cientistas políticos destaca, porém, a presença da ex-senadora no quarteto – às vezes, trio – da preferência do eleitor.

O IAP faz um gracejo: se Marina, ex-senadora e ex-ministra, chegar ao segundo turno, amplia-se, sem demora, a bancada de apoio à representante da Rede. Eleita, pouco provável, não vai demorar bancada plural, nos diversos sentidos, a aplaudir a vencedora.

Classificou-se em terceiro lugar nas duas tentativas de conquistar o poder federal. Nos levantamentos de expectativas para 2018, mantém a mesma posição no ranking, embora sejam outros os oponentes situados no alto.

Agora, Lula da Silva (PT) está na frente e Jair Bolsonaro (PSL) é vice-líder.

Sem o petista, desenham-se rostos com alguma nitidez: Geraldo Alckmin (PSDB), Joaquim Barbosa (PSB), Ciro Gomes (PDT) e Alvaro Dias (Podemos).

Poder no tobogã

Plenário do Supremo Tribunal Federal tem seus dias de ópera-bufa.

Neste 2018, em ritmo de recorrência.

Partilha da vitória

Sarney Filho

Flávio Dino (PCdoB) seria reconduzido ao governo do Maranhão no primeiro turno, fosse agora o comparecimento às urnas.

Conforme Exata, instituto regional de pesquisa, Dino teria ao redor de 60% dos votos. Principal concorrente do comunista, Roseana Sarney (MDB), quatro vezes governadora do estado, não contabilizaria a metade. Senador Roberto Rocha (PSDB), terceiro lugar com 7%; e, na quarta posição, Maura Jorge (PSL), 5%.

Sarney Filho (PV) lidera intenção de voto na disputa ao Senado, com duas vagas disponíveis. Zeca, como é chamado pelos maranhenses, será o terceiro da família a atuar na Casa. Pai e irmã foram senadores.

Tradição que segue

Dia 9 de agosto, Rede Bandeirantes realiza primeiro debate de candidatos à Presidência da República.

Uma semana depois, filiadas da Band apresentam postulantes aos governos estaduais.

Janaína revela voto

Janaína Paschoal

“Vou com Jair Bolsonaro”.

Referência midiática da equipe de advogados peticionários do impeachment de Dilma Rousseff, Janaína Paschoal abre o voto para presidente da República no deputado fluminense agora filiado ao PSL.

Eleitora em São Paulo, Paschoal não define preferência para governador, mas sinaliza simpatia pelo tucano João Doria e pelo emedebista Paulo Skaf.

 

Assim fala Ferreira

“Uma boa frase cria a sua verdade. É por isso que os políticos escolhem meticulosamente os seus slogans para criarem a deles” (Vergílio Ferreira, escritor português).

 

Sem comentários
Escrever um comentário